fbpx
A economia está no ar: o que o Brasil ganha com ar-condicionado mais eficiente? – Sumário Executivo

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas e realizado pelos pesquisadores Carlos Alberto Manso e Felipe Bastos da Universidade Federal do Ceará analisou o modelo atual de produção e comercialização de ar-condicionado e os impactos de cenários de mudanças nas políticas industrial e de eficiência energética. O trabalho estima a economia de energia e os efeitos ao setor elétrico, aos consumidores e ao meio ambiente, decorrentes da aplicação conjunta de mudanças na política industrial e de eficiência energética para o ar-condicionado, bem como traz argumentos empresariais e propõe um modelo para a mudança de política industrial do setor.

 

A economia está no ar: o que o Brasil ganha com ar-condicionado mais eficiente?

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas e realizado pelos pesquisadores Carlos Alberto Manso e Felipe Bastos da Universidade Federal do Ceará analisou o modelo atual de produção e comercialização de ar-condicionado e os impactos de cenários de mudanças nas políticas industrial e de eficiência energética. O trabalho estima a economia de energia e os efeitos ao setor elétrico, aos consumidores e ao meio ambiente, decorrentes da aplicação conjunta de mudanças na política industrial e de eficiência energética para o ar-condicionado, bem como traz argumentos empresariais e propõe um modelo para a mudança de política industrial do setor.

Relatório 
Apresentação Gabriel Kohlmann
Apresentação Carlos Manso

Diplomacia Alimentar: qual o apetite do Brasil no cenário mundial? A regulação internacional da produção e do comércio de alimentos – Sumário Executivo

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas e realizado pelos pesquisadores Leane Cornet Naidin, Pedro da Motta Veiga e Sandra Polónia Rios do Centro de Estudos de Integração e Desenvolvimento (Cindes) analisou o funcionamento e as tendências do comércio internacional de alimentos, como o Brasil vem se posicionando nesse cenário e como os agentes privados do setor agropecuário brasileiro têm influenciado esse posicionamento. Compreender as regras Diplomacia Alimentar_Qual o apetite do Brasil no cenário mundial_Sumario Executivoe as movimentações desse jogo que estamos chamando de Diplomacia Alimentar é fundamental para que a sociedade consiga monitorar as movimentações do comércio internacional e seus reflexos para o país, sejam eles de ordem econômica, social ou ambiental.

Diplomacia Alimentar: qual o apetite do Brasil no cenário mundial? A regulação internacional da produção e do comércio de alimentos

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas e realizado pelos pesquisadores Leane Cornet Naidin, Pedro da Motta Veiga e Sandra Polónia Rios do Centro de Estudos de Integração e Desenvolvimento (Cindes) analisou o funcionamento e as tendências do comércio internacional de alimentos, como o Brasil vem se posicionando nesse cenário e como os agentes privados do setor agropecuário brasileiro têm influenciado esse posicionamento. Compreender as regras e as movimentações desse jogo que estamos chamando de Diplomacia Alimentar é fundamental para que a sociedade consiga monitorar as movimentações do comércio internacional e seus reflexos para o país, sejam eles de ordem econômica, social ou ambiental.

Apresentação

 

 

Do pasto ao prato: subsídios e pegada ambiental da carne bovina – Sumário Executivo

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas e elaborado pelos pesquisadores Petterson Molina Vale e Roberto Strumpf, analisa os impactos econômicos e ambientais da cadeia da carne bovina em todo o Brasil. Uma abordagem inédita, que compreende toda a trajetória do produto, do nascimento do bezerro até a mesa do consumidor, durante uma década.  Nas análises sobre impactos econômicos, apresenta os valores de arrecadação dos impostos e o volume de subsídios concedidos pelos Governos Estaduais e Federal. Sobre o impacto ambiental, mostra a pegada de carbono, com os números das emissões e remoções de gases de efeito estufa (GEE), e a pegada hídrica, com dados do consumo de água.

Do pasto ao prato: subsídios e pegada ambiental da carne bovina

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas e elaborado pelos pesquisadores Petterson Molina Vale e Roberto Strumpf, analisa os impactos econômicos e ambientais da cadeia da carne bovina em todo o Brasil. Uma abordagem inédita, que compreende toda a trajetória do produto, do nascimento do bezerro até a mesa do consumidor, durante uma década.  Nas análises sobre impactos econômicos, apresenta os valores de arrecadação dos impostos e o volume de subsídios concedidos pelos Governos Estaduais e Federal. Sobre o impacto ambiental, mostra a pegada de carbono, com os números das emissões e remoções de gases de efeito estufa (GEE), e a pegada hídrica, com dados do consumo de água.

Relatório – Subsídios
Relatório – Pegada Ambiental
Apresentação – Subsídios
Apresentação – Pegada Ambiental

Setor Elétrico: como precificar a água em um cenário de escassez – Sumário Executivo

Idealizado pelo Instituto Escolhas e elaborado pela PSR Consultoria e Soluções em Energia, o estudo analisa três casos envolvendo situações de escassez hídrica nas bacias dos rios São Francisco e Jaguaribe – e os recentes problemas envolvendo usinas termelétricas – e a Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Os resultados e as metodologias propostas são o ponto de partida para o debate sobre a necessidade de estabelecer a água como insumo e sobre a adoção de mecanismos de preço. O objetivo é apresentar as ferramentas que possam contribuir na construção de políticas públicas para mitigar a disputa pela água e evitar impactos na operação do Sistema Interligado Nacional (SIN), com prejuízos bilionários à economia nacional e o consequente repasse ao consumidor, por meio de aumentos na conta de luz.

Setor Elétrico: como precificar a água em um cenário de escassez

Idealizado pelo Instituto Escolhas e elaborado pela PSR Consultoria e Soluções em Energia, o estudo analisa três casos envolvendo situações de escassez hídrica nas bacias dos rios São Francisco e Jaguaribe – e os recentes problemas envolvendo usinas termelétricas – e a Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Os resultados e as metodologias propostas são o ponto de partida para o debate sobre a necessidade de estabelecer a água como insumo e sobre a adoção de mecanismos de preço. O objetivo é apresentar as ferramentas que possam contribuir na construção de políticas públicas para mitigar a disputa pela água e evitar impactos na operação do Sistema Interligado Nacional (SIN), com prejuízos bilionários à economia nacional e o consequente repasse ao consumidor, por meio de aumentos na conta de luz.

Apresentação – Lançamento estudo

Uma nova economia para o Amazonas: Zona Franca de Manaus e Bioeconomia – Sumário Executivo

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas, coordenado por Sergio Leitão, e elaborado por Gabriel Kohlmann, gerente de Políticas Públicas da Prospectiva, e pelo economista Carlos Manso, especialista em desenvolvimento regional, identificou quatro eixos de oportunidades para diversificar a atividade econômica e impulsionar o desenvolvimento sustentável do Amazonas. O documento apresenta os fatores críticos de sucesso, as condicionantes para alavancar a bioeconomia no estado e demonstra que, com investimentos públicos e privados de R$ 7,15 bilhões em infraestrutura, ao longo de dez anos, é possível criar 218 mil empregos diretos e indiretos.

Sumário_Bioeconomia_curta_jan2020

Uma nova economia para o Amazonas: Zona Franca de Manaus e Bioeconomia

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas, coordenado por Sergio Leitão, e elaborado por Gabriel Kohlmann, gerente de Políticas Públicas da Prospectiva, e pelo economista Carlos Manso, especialista em desenvolvimento regional, identificou quatro eixos de oportunidades para diversificar a atividade econômica e impulsionar o desenvolvimento sustentável do Amazonas. O documento apresenta os fatores críticos de sucesso, as condicionantes para alavancar a bioeconomia no estado e demonstra que, com investimentos públicos e privados de R$ 7,15 bilhões em infraestrutura, ao longo de dez anos, é possível criar 218 mil empregos diretos e indiretos.

Apresentação – Estudo

Imposto Territorial Rural: justiça tributária e incentivos ambientais

O estudo foi idealizado pelo Instituto Escolhas e realizado em parceria com o Laboratório de Planejamento de Uso do Solo e Conservação (GeoLab) e Grupo de Políticas Públicas (GPP) da Esalq/USP, o economista Bernard Appy e o jurista Carlos Marés. O objetivo do estudo é propor a atualização dos parâmetros para cobrança do Imposto Territorial Rural (ITR), com a revisão da Tabela de Lotação da Pecuária e elaboração de uma nova regulamentação do imposto, em especial para resolver os conflitos hoje existentes entre o ITR e a legislação ambiental. Além disso, o estudo apresenta simulação de cenários de implementação dessas propostas que permitem avaliar o impacto na arrecadação do imposto.

 

Imposto Territorial Rural: justiça tributária e incentivos ambientais – Sumário Executivo

O estudo foi idealizado pelo Instituto Escolhas e realizado em parceria com o Laboratório de Planejamento de Uso do Solo e Conservação (GeoLab) e Grupo de Políticas Públicas (GPP) da Esalq/USP, o economista Bernard Appy e o jurista Carlos Marés. O objetivo do estudo é propor a atualização dos parâmetros para cobrança do Imposto Territorial Rural (ITR), com a revisão da Tabela de Lotação da Pecuária e elaboração de uma nova regulamentação do imposto, em especial para resolver os conflitos hoje existentes entre o ITR e a legislação ambiental. Além disso, o estudo apresenta simulação de cenários de implementação dessas propostas que permitem avaliar o impacto na arrecadação do imposto.