fbpx

Minha Casa, Minha Vida, tema da entrevista do ministro Canuto ao Valor, foi abordado em estudo e Policy Brief do Escolhas

Titular da pasta do Desenvolvimento Regional explica as reformulações do programa. Instituto lançou documentos com propostas de aperfeiçoamento

“Construir uma casa no interior de São Paulo é uma coisa, construir na região metropolitana é outra”, declarou o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, em entrevista ao jornal Valor Econômico desta quarta (15/01), ao falar das mudanças no programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). A construção de moradias nas regiões metropolitanas foi tema do estudo  “Morar Longe: O programa Minha Casa Minha Vida e a expansão das Regiões Metropolitanas”, lançado em 2019 pelo Instituto Escolhas.

O trabalho contribui para fazer uma reflexão sobre quais serão os rumos da política habitacional no Brasil nos próximos anos, e apresenta dados que mostram em que o MCMV acertou e no que ele pode melhorar. Uma das conclusões é que o programa contribuiu para a expansão da mancha urbana nas grandes metrópoles analisadas, algo que gera também outros problemas como a falta de serviços básicos, população residindo em áreas com pouca infraestrutura de serviços públicos e distante dos locais de trabalho, afetando a mobilidade urbana.

As propostas para seu aperfeiçoamento estão no documento Desafios e propostas para uma nova política de moradia”,  primeiro Policy Brief do Instituto Escolhas em 2020. Resultantes das conclusões do Grupo de Trabalho Minha Casa Minha Vida (GTMCMV), formado em conjunto com integrantes da Rede de Ação pela Sustentabilidade (RAPS) com a colaboração do Escolhas.

Íntegra da matéria do Valor Econômico da edição desta quarta-feira (15/01) no link