fbpx

Moradia para trabalhadores informais

Startup inova em reduzir burocracia e criar novos indicadores de credibilidade para acessar locação de imóveis

 

Uma realidade muito comum entre as famílias brasileiras de baixa renda é o trabalho informal diante da realidade da baixa oferta do emprego formal com carteira assinada.  Um grande problema decorrente da informalidade é o fato de que essas famílias dificilmente conseguem comprovar renda para alugar um imóvel. Pensando nessa população, uma iniciativa pretende facilitar o acesso a moradias sem a burocracia costumeira do ramo imobiliário, algo que é um misto de imobiliária e seguradora. A startup Alpop (Aluguel Popular) conecta locadores e inquilinos com renda de até seis salários mínimos.

A Alpop desenvolveu critérios diferentes que valorizam muito mais o potencial de renda da família do que a comprovação da renda em si. Para definir o valor do aluguel (e despesas correlatas como taxa de condomínio), a startup trabalha com limite de 30% da renda da família que está buscando um imóvel. Já são cerca de 500 imóveis cadastrados no banco da empresa em Campinas e na zona leste da cidade de São Paulo. A Alpop foi fundada pelo Urbem (Instituto de Urbanismo e Estudos para a Metrópole), do urbanista Philip Yang, e a empresa de tecnologia e design Caiena. Philip Yang foi um dos convidados do #Escolhas a fazer parte da mesa que debateu o tema do adensamento nas metrópoles brasileiras durante o Seminário Moradia e Expansão das Metrópoles Brasileiras, realizado dia 22 de janeiro. Você pode conferir a participação dele e de outros convidados AQUI.

Na Ocasião o #Escolhas lançou, em parceria com a FGV, o estudo “Morar Longe: o Programa Minha Casa Minha Vida e a expansão das Regiões Metropolitanas” e a plataforma #Quantoé? Morar Longe, com dados da Região Metropolitana de São Paulo.

Fonte: Valor Econômico