Contexto

De onde vem o ouro?

#Amazôniasemgarimpo

A crise econômica decorrente da pandemia da Covid-19 aumentou a busca por ativos financeiros mais seguros e levou à disparada do preço do ouro nos mercados internacionais. As exportações brasileiras cresceram 30,5%, totalizando US$ 3 bilhões entre janeiro e agosto, com a remessa de 64 toneladas de ouro. O novo boom do ouro, estimulado também pelo movimento de legalização de garimpos e pela diminuição da fiscalização ambiental sobre a atividade garimpeira, tem na Amazônia seu epicentro.

O Instituto Escolhas está lançando a campanha De onde vem o ouro? #Amazôniasemgarimpo com números, dados e argumentos para que consumidores e investidores evitem um negócio que põe em risco a maior floresta tropical do planeta. O garimpo, muitas vezes ilegal, aumenta o desmatamento e contamina rios e comunidades locais.

O recente Texto para Discussão do Instituto Escolhas “A nova corrida do ouro na Amazônia” mapeia os grandes atores do negócio do ouro e mostra o elo entre as concessões de lavra garimpeira e o mercado financeiro, que não está livre do ouro origem ilegal, extraído em unidades de conservação e terras indígenas.

TD

Notícias

A matéria assinada por Nicola Pamplona, publicada pela Folha de S. Paulo, mostra o avanço do garimpo ilegal, o mercado de ouro e traz os dados econômicos publicados no TD.

news
Webinar: Expansão do garimpo da Amazônia em tempos de pandemia
banner
Terra Indígena Kayapó, Pará
Terra Indígena Kayapó, Pará
Grupo Especializado de Fiscalização (GEF) do Ibama realiza operação de combate a garimpo ilegal de ouro na Terra Indígena Kayapó, no estado do Pará, Brasil
Foto: Felipe Werneck/Ibama
Vídeo - Dia da Amazônia (05/09). Assista!