fbpx
Destravando a agenda da Bioeconomia: soluções para impulsionar as concessões florestais no Brasil

Idealizado pelo pelo Instituto Escolhas, o estudo foi realizado em parceria com o pesquisador Aldo de Cresci (Tess Advogados) e com a Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura. O documento apresenta propostas sobre concessões florestais para impulsionar atividades econômicas sustentáveis em florestas públicas, que serviram de base para novo Projeto de Lei apresentado no Congresso.

Sumário Executivo

Mais perto do que se imagina: os desafios da produção de alimentos na metrópole de São Paulo

Estudo realizado pelo Escolhas em parceria com o Instituto Urbem tem como objetivo investigar a viabilidade econômico-financeira da agricultura urbana e periurbana na região, apontando desafios e potencialidades para um sistema alimentar mais resiliente e sustentável. Desenvolvido pelos pesquisadores Fernando de Mello Franco, Marcela Alonso Ferreira, Vitória Oliveira Pereira de Souza Leão, Leandro Cizotto e Carolina Passos, o documento analisa os subsistemas que estruturam o sistema alimentar na região.

Sumário Executivo

Relatório

Anexo 1 – Cartografia 

Anexo 2 – Roteiro de Entrevista Exploratória

Anexo 3 – Modelo econômico-finenceiro do caso hipotético de agricultura
urbana e notas metodológicas

Apresentação

A economia está no ar: o que o Brasil ganha com ar-condicionado mais eficiente?

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas e realizado pelos pesquisadores Carlos Alberto Manso e Felipe Bastos da Universidade Federal do Ceará analisou o modelo atual de produção e comercialização de ar-condicionado e os impactos de cenários de mudanças nas políticas industrial e de eficiência energética. O trabalho estima a economia de energia e os efeitos ao setor elétrico, aos consumidores e ao meio ambiente, decorrentes da aplicação conjunta de mudanças na política industrial e de eficiência energética para o ar-condicionado, bem como traz argumentos empresariais e propõe um modelo para a mudança de política industrial do setor.

Sumário Executivo
Relatório 
Apresentação Gabriel Kohlmann
Apresentação Carlos Manso

Diplomacia Alimentar: qual o apetite do Brasil no cenário mundial? A regulação internacional da produção e do comércio de alimentos

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas e realizado pelos pesquisadores Leane Cornet Naidin, Pedro da Motta Veiga e Sandra Polónia Rios do Centro de Estudos de Integração e Desenvolvimento (Cindes) analisou o funcionamento e as tendências do comércio internacional de alimentos, como o Brasil vem se posicionando nesse cenário e como os agentes privados do setor agropecuário brasileiro têm influenciado esse posicionamento. Compreender as regras Diplomacia Alimentar_Qual o apetite do Brasil no cenário mundial_Sumario Executivoe as movimentações desse jogo que estamos chamando de Diplomacia Alimentar é fundamental para que a sociedade consiga monitorar as movimentações do comércio internacional e seus reflexos para o país, sejam eles de ordem econômica, social ou ambiental.

Sumário Executivo
Apresentação

Do pasto ao prato: subsídios e pegada ambiental da carne bovina

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas e elaborado pelos pesquisadores Petterson Molina Vale e Roberto Strumpf, analisa os impactos econômicos e ambientais da cadeia da carne bovina em todo o Brasil. Uma abordagem inédita, que compreende toda a trajetória do produto, do nascimento do bezerro até a mesa do consumidor, durante uma década.  Nas análises sobre impactos econômicos, apresenta os valores de arrecadação dos impostos e o volume de subsídios concedidos pelos Governos Estaduais e Federal. Sobre o impacto ambiental, mostra a pegada de carbono, com os números das emissões e remoções de gases de efeito estufa (GEE), e a pegada hídrica, com dados do consumo de água.

Sumário Executivo

Relatório – Subsídios
Relatório – Pegada Ambiental
Apresentação – Subsídios
Apresentação – Pegada Ambiental

Setor Elétrico: como precificar a água em um cenário de escassez

Idealizado pelo Instituto Escolhas e elaborado pela PSR Consultoria e Soluções em Energia, o estudo analisa três casos envolvendo situações de escassez hídrica nas bacias dos rios São Francisco e Jaguaribe – e os recentes problemas envolvendo usinas termelétricas – e a Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Os resultados e as metodologias propostas são o ponto de partida para o debate sobre a necessidade de estabelecer a água como insumo e sobre a adoção de mecanismos de preço. O objetivo é apresentar as ferramentas que possam contribuir na construção de políticas públicas para mitigar a disputa pela água e evitar impactos na operação do Sistema Interligado Nacional (SIN), com prejuízos bilionários à economia nacional e o consequente repasse ao consumidor, por meio de aumentos na conta de luz.

Uma nova economia para o Amazonas: Zona Franca de Manaus e Bioeconomia

Estudo idealizado pelo Instituto Escolhas, coordenado por Sergio Leitão, e elaborado por Gabriel Kohlmann, gerente de Políticas Públicas da Prospectiva, e pelo economista Carlos Manso, especialista em desenvolvimento regional, identificou quatro eixos de oportunidades para diversificar a atividade econômica e impulsionar o desenvolvimento sustentável do Amazonas. O documento apresenta os fatores críticos de sucesso, as condicionantes para alavancar a bioeconomia no estado e demonstra que, com investimentos públicos e privados de R$ 7,15 bilhões em infraestrutura, ao longo de dez anos, é possível criar 218 mil empregos diretos e indiretos.

Sumário Executivo
Relatório Completo
Apresentação – Estudo

Imposto Territorial Rural: justiça tributária e incentivos ambientais

O estudo foi idealizado pelo Instituto Escolhas e realizado em parceria com o Laboratório de Planejamento de Uso do Solo e Conservação (GeoLab) e Grupo de Políticas Públicas (GPP) da Esalq/USP, o economista Bernard Appy e o jurista Carlos Marés. O objetivo do estudo é propor a atualização dos parâmetros para cobrança do Imposto Territorial Rural (ITR), com a revisão da Tabela de Lotação da Pecuária e elaboração de uma nova regulamentação do imposto, em especial para resolver os conflitos hoje existentes entre o ITR e a legislação ambiental. Além disso, o estudo apresenta simulação de cenários de implementação dessas propostas que permitem avaliar o impacto na arrecadação do imposto.

Sumário Executivo
Relatório

Morar Longe: O programa Minha Casa Minha Vida e a expansão das Regiões Metropolitanas

O estudo é uma realização do Instituto Escolhas em parceria com o Centro de Política e Economia do Setor Público da Fundação Getúlio Vargas (CEPESP/EAESP/EESP) com apoio da Fundação Tide Setubal. O objetivo do estudo é investigar se o MCMV contribuiu para a expansão urbana e, com isso, para o agravamento dos problemas das metrópoles brasileiras tais como: a deterioração das áreas centrais, população residindo em áreas com pouca infraestrutura de serviços públicos e distante dos locais de trabalho, afetando a mobilidade urbana. Foram avaliadas 20 regiões metropolitanas: Belém, Belo Horizonte, Campinas, Cuiabá, Curitiba, Distrito Federal, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Manaus, Palmas, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Santos, Salvador, São Luís, São Paulo, Teresina e Vitória.

Sumário Executivo
Relatório

Quais os reais custos e benefícios das fontes de geração elétrica no Brasil?

Estudo coordenado pelo Instituto Escolhas com a execução técnica das equipes da PSR Consultoria e HPPA. Apresenta metodologia inédita que calcula o custo total da geração de energia no Brasil por meio da avaliação e da valoração dos atributos de cinco componentes para cada fonte de geração prevista no Plano Decenal de Energia (PDE) 2026.

Sumário Executivo

O relatório completo contém quatro partes:
1. Caderno Principal
2. Caderno Custos de Infraestrutura
3. Caderno de Geração
4. Caderno de Subsídios e Custos de Emissão de CO2

Apresentação – Lançamento estudo
Custos e Benefícios de Angra 3

 

Mobilidade Urbana & Baixo Carbono

Pesquisa de opinião sobre mobilidade urbana e baixo carbono adaptada de versão americana promovida pela Oil Transportation Research and Intelligence Network. Realizada pela Ideia Big Data e encomendada pelo Instituto Clima e Sociedade em parceria com o Instituto Escolhas, a pesquisa foi executada em outubro de 2017 e ouviu 3.000 pessoas em todo Brasil. A coleta de dados foi feita por meio de entrevistas pessoais aplicadas via telefone. A margem de erro é de aproximadamente 2,25 pontos percentuais para mais ou para menos dos resultados encontrados no total da amostra, com intervalo de confiança de 95%.

Qual o impacto do desmatamento zero no Brasil?

Estudo coordenado por Sergio Leitão e Lígia Vasconcellos (Instituto Escolhas), com análise biofísica e de uso da Terra de Gerd Sparovek, Vinícius Guidotti (Geolab – Esalq/USP) e Luiz Fernando Guedes Pinto (Imaflora). Análise econômica por Joaquim Bento de Souza Ferreira Filho (Esalq-USP), buscou responder qual o impacto econômico e social de zerar o desmatamento no Brasil.

Sumário Executivo
Relatório