fbpx

Cátedra Escolhas: artigo analisa efetividade da lei contra queimadas nas plantações de cana em São Paulo

Em 2002, o governo de São Paulo implementou a Lei  nº 11.241, com o intuito de banir gradualmente a prática da queima da palha durante a pré-colheita da cana-de-açúcar até 2031. Mas será que tal redução está acontecendo na prática? A resposta é “sim”, de acordo com o artigo Queimadas pré-colheita da cana-de-açúcar: uma análise estatística dos impactos ambientais da mudança regulatória no setor de energia”, recém-publicado pela bolsista da Cátedra Escolhas Fernanda Valente e elaborado em co-autoria com Márcio Poletti Laurin, doutor em Estatística pelo IMECC-Unicamp, pesquisador e professor na FEA-RP USP. 

“Usamos um modelo já conhecido na literatura, mas combinamos a decomposição estrutural da estatística com o uso de modelagem espacial. Temos outros papers publicados que usam o mesmo modelo para avaliar eventos climáticos. O meu projeto de pesquisa para o Instituto Escolhas, em fase de finalização, explora o uso desse modelo para estudar diversos eventos climáticos, como as queimadas na Amazônia e no Pantanal”, conta a doutoranda, que, em novembro, parte para um sanduíche na Universidade de Edimburgo.

Segundo o artigo, as análises realizadas evidenciam a tendência na redução consistente das ocorrências de queimadas, “sugerindo a eficiência das ações de mitigação implementadas no estado de São Paulo e indicando um avanço permanente na sustentabilidade ambiental desta forma de produção de energia renovável.”

Acesse o artigo na íntegra (em inglês) aqui