fbpx

Empresas serão peça-chave para a ação climática global

Segundo pesquisa, em 2030, companhias podem reduzir emissões de GEE em 3,7 bilhões de CO2 por ano

Lançada no fim de junho, a pesquisa The Business End Of Climate Change, realizada pelo New Climate Institute e Carbon Disclosure Program (CDP), revela a Contribuição Empresarial Determinada (BDC)” para a ação climática e aponta que, em 2030, as empresas poderão reduzir suas emissões de gases de efeito estufa (GEE) em nível mundial em até 3,7 bilhões de toneladas de CO2 por ano nos âmbitos atuais – ou 60% dos cortes totais de emissões prometidos na Conferência do Clima (COP-21), em Paris.

Já em um ambiente político adequado e com ações climáticas reforçadas, o relatório mostra que cortes de emissões de GEE, em nível global, podem atingir cerca de 10 bilhões de toneladas de carbono por ano.

No total, cerca de 300 companhias já se inscreveram nas cinco iniciativas de ação climática analisadas pelo relatório. Entre elas está o Grupo IKEA, que já investiu, desde 2009, 1,5 bilhões de euros em energias renováveis. “Construir um futuro melhor é nossa responsabilidade comum. Empresas, investidores, indivíduos, cidades e regiões, todos têm um papel a desempenhar. A ação sobre mudanças climáticas não é apenas a coisa certa a fazer, ela traz benefícios para o negócio. Para o Grupo IKEA é um motor de inovação, renovação e uma oportunidade para tornar nosso negócio melhor”, comentou Steve Howard, chefe de sustentabilidade do IKEA, sobre o relatório.

A expectativa é que em 2030 sejam inscritas mais de 3.500 empresas, a fim de impulsionar a economia de baixo carbono.

Confira o relatório aqui.