fbpx

Estudo traz uso de Big Data para a detecção de madeira ilegal

Na última terça-feira (2), o Instituto BVRio apresentou o estudo sobre o uso de Big Data para a detecção de madeira ilegal.

De acordo com o estudo, a produção e comercialização ilegal de madeira tropical é um dos principais fatores de degradação ambiental no mundo, levando à perda de habitats e biodiversidade, emissão de gases de efeito estufa (GEE), violação de direitos humanos e corrupção.

Dados do relatório apontam que o setor madeireiro amazônico atualmente é responsável pela extração de cerca de 13 milhões de metros cúbicos de toras de madeira nobre de florestas amazônicas no Brasil.

Além de estimar que mais de 70% dos produtos madeireiros da Amazônia são provenientes de operações ilegais, envolvendo roubo de madeira de unidades de conservação e reservas indígenas e outros tipos de irregularidades. Nos rankings internacionais, o Brasil é considerado um dos países de maior risco no que se refere à ilegalidade no setor madeireiro.

A análise de big data, segunda a publicação, basea-se na utilização de grandes volumes de dados que são cruzados para obtenção de padrões e informação. Seu uso pode ser estendido para o rastreamento de cadeias de custódia e detectar ilegalidades e/ou irregularidades potenciais.

Para o BVRio, há uma necessidade urgente de se promover o setor florestal tropical brasileiro para assegurar a preservação de florestas em pé e a redução de emissões pelo setor de uso da terra, e o uso de big data para a avaliação de risco é promissor, por combinar os resultados de uma ampla gama de abordagens ao invés de depender de qualquer uma isoladamente.

Confira o estudo completo aqui.